terça-feira, abril 21, 2009

 

Mais do que Farol; um símbolo




.......... ..........
Quase sessenta e quatro anos após a sua inauguração, finalmente, o Farol de Santa Clara ganhou direito a Bilhete de Identidade. Assim, a quem hoje passar por Santa Clara, já é possível ler, numa singela placa lá recentemente colocada, não só o ano de instalação da estrutura no local, como também a referência à sua “paternidade”.
Eis pois mais um sinal de que, passo a passo – uns maiores outros mais pequenos mas todos eles deveras importantes –, Santa Clara “vai ficando no mapa”!
Para a história do Farol de Santa Clara, que dada a força e simbolismo da sua presença acabou por ser o ícone adoptado – e a manter – pelo grupo de cidadãos “Santa Clara – Vida Nova” no movimento de cidadania que, vencendo a primeira disputa eleitoral para a Junta de Freguesia de Santa Clara, com brio e determinação, tem conduzido os destinos de Santa Clara desde que esta se tornou independente de São José, aqui ficam mais algumas breves notas:
Após o farol que estava na cabeça do molhe do porto ter sido derrubado por um forte temporal (Dezembro de 1942), foi decidido que o seu substituto deveria ficar sobre terra firme, em lugar conveniente e mais seguro; na restinga a “Loeste” de Ponta Delgada, em Santa Clara, próximo da ponta que deu o nome à cidade.
Coube-nos em sorte um farol algo peculiar, moderno, eléctrico e já com alguns automatismos que dispensavam faroleiro em permanência embora podendo também funcionar a petróleo, e com uma cúpula requintada; um equipamento que antes de chegar a Santa Clara estivera no coração da capital do império, nada mais nada menos do que servindo a Torre de Belém.
Com um foco luminoso colocado a cerca de 25 metros do nível médio do mar (Latitude: 37 graus e 44 minutes, Norte. Longitude: 25 graus e 41 minutos, Poente) e um alcance de 14 milhas, o que lhe permite cobrir toda a costa Sul, desde a Ribeira Quente até à Ferraria, a sua montagem e instalação ficou por conta da Junta Autónoma do Porto de Ponta Delgada, na altura dirigida pelo Eng. Abel Coutinho, em empreitada tecnicamente orientada pelo então Agente Técnico Carlos Horta.
A sua inauguração ocorreu a 15 de Junho de 1945.

A.O. 21/04/09; “Cá à minha moda” (Revisto e acrescentado)



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?