terça-feira, março 16, 2010

 

Brados de burro


Há um asno, não só asno como um grande asno, cobarde, que de há uns tempos para cá vem zurrando para que outros denunciem aquilo que ele, cobarde, não é capaz de denunciar (tampouco consegue explicar exactamente o que pretende). Aliás, nem para “dar a cara” pelas “encomendas” que faz, este asno, grande asno, hombridade tem!
Asnos são asnos, e asnos há que, não satisfeitos com a sua condição de jericos, com os seus doentios “pegadilhos”, e ainda com a sua monstruosa cobardia, além de asneirarem compulsivamente, inventam e mentem.
De tão asnos que são, até se imaginam suficientemente importantes para estarem na origem do que acontece com a caixa de comentários deste blog.
Tristes asnos. Nem se enxergam!
Como podem este tipo de animais, sem dignidade, eles sim, “material” que se compra e vende por tuta e meia, tentar denegrir aqueles que já derem bastas provas de não terem a sua voz, pena, ou consciência à venda? A começar quando não aceitam “encomendas”, praticamente inofensivas (basta comparar o putativo assunto com outros bem mais delicados), sobretudo porque vindas de asnos, anónimos e cobardes!

Para ajudar a perceber isto é só passar pelo "Candilhes", mais concretamente aqui.



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?